Seguidores

Tecnologia do Blogger.
RSS

{PIADOLANDIA:107390}


Comentários racistas saem das redes e ganham outdoors

10 de novembro de 2015 · Atualizado às 14h06
Compartilhe:

Comentário racista direcionado à jornalista Maria Júlia Coutinho (divulgação)

"As redes sociais deram voz a uma legião de imbecis", disse o escritor italiano Umberto Eco em junho deste ano. A ideia parece um pouco radical demais, mas ao "passear" pela rede, talvez tenhamos que concordar em partes com o estudioso.

Discursos de ódio sempre existiriam, muito antes da invenção do computador ou de qualquer outro tipo de comunicação, infelizmente. A grande questão é que, com o "anonimato" da internet, muitas pessoas tendem a tomar coragem de dizer aquilo que não podem na "vida real". Com o racismo não é diferente, comentários carregados de intolerância racial não são difíceis de encontrar na web.

O que as pessoas se esquecem, no entanto, é que a falsa sensação de "ser apenas um avatar" nas redes é ilusória. Por trás de todo discurso violento veiculado na internet existe alguém que pensa daquela forma e defende aquela posição.

Para mostrar à sociedade o quão reais são os posts racistas na web, a ONG Criola, organização da sociedade civil que atua a partir da defesa e promoção de direitos das mulheres negras, lançou a campanha "Racismo virtual. As consequências são reais."

A campanha nasceu em julho motivada pelo caso da jornalista Maria Júlia Coutinho (relembre aqui). A Criola, em parceria com a W3haus, executou um trabalho de mapeamento dos comentários na plataforma, localizando as cidades onde os autores das ofensas moram. O passo seguinte foi transformar essas injúrias em algo material, na forma de outdoors e demais peças de mídia exterior instalados nas principais ruas e avenidas das cidades mapeadas. 

Um site explicando toda a ação também foi criado (confira aqui). 

De acordo com Jurema Werneck, fundadora da Criola, o objetivo da campanha é impactar a população e conscientizá-la sobre os efeitos de um comentário infeliz na internet. "Não é possível ignorar esses ataques e achar que não haverá consequências para os ofensores. Racismo é crime segundo a Constituição brasileira e, no caso dos insultos na internet, independentemente de terem sido direcionados a uma pessoa conhecida ou não, os agressores infringiram a lei e, pior, a honra e dignidade das mulheres negras. A campanha visa expor essas situações e fazer com que a sociedade se posicione contra esse retrocesso", declara Jurema.

Redação Adnews

--

--
--
Você recebeu esta mensagem porque está inscrito no Grupo "PIADOLÂNDIA" em Grupos do Google.
Para postar neste grupo, envie um e-mail para piadolandia@googlegroups.com
Para cancelar a sua inscrição, envie um e-mail para piadolandia-unsubscribe@googlegroups.com
Para ver mais opções, visite o grupo em http://groups.google.com/group/piadolandia?hl=pt-BR
AVISO: Não enviar e-mails sem (XXX) para qualquer tipo de conteúdo adulto e tragédias, (PPS) para power point, (link) se for postar somente endereços, (wmv ou vd) para vídeos normais, (POL) para assuntos relacionados a política.

---
You received this message because you are subscribed to the Google Groups "Piadolândia" group.
To unsubscribe from this group and stop receiving emails from it, send an email to piadolandia+unsubscribe@googlegroups.com.
For more options, visit https://groups.google.com/d/optout.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário